Tocando no órgão!

O Rush, assim como Ottawa, é canadense! Grande banda do Great White North. O que vamos apresentar é uma guria de 11 anos tocando sozinha a música YYZ do trio de mestres!

Vi aqui.

Anúncios

Como recuperar arquivos em CD/DVD

M�dia

O Cd arranhou? O DVD virou um OVNI e voltou avariado de sua viagem? Calma! Existe luz no fim do túnel, quer dizer, ainda existe arquivos lá dentro que podem ser recuperados.

Os discos estão cada vez mais frágeis. Fazer backup em mídia está se tornando, até mesmo, perigoso, já que não sabemos qual será o destino dela.

No entanto, nem tudo está perdido! Existem diversos programas que nos ajudam a recuperar arquivos que pensavamos estarem completamente perdidos entre os riscos que maculam nossos CDs e DVDs.

Um dos programas que se dispõe a esse propósito é o CD Recovery Toolbox Free. Apesar do nome ele se destina a recuperação de arquivos que estejam em CDs/DVDs/HD-DVDs (é, eles ainda existem) e Blu-Rays Discs.

O software, em inglês, é de uso fácil e, dependendo do tamanho dos arquivos que a mídia contem e o tamando do arquivo a ser recuperado, é relativamente rápido. Mas não espere que aquele filme de 1Gb seja recuperado em 5 minutos!

No mais, seu grande diferencial é que ele é FREE, ou seja, você não precisa piratear pagar por um programa que vai usar umas 3 vezes em toda a sua vida!

Faça o download do programa aqui.

É isso aí galera! Boa sorte…e muita paciência!

Você já deslocou bits hoje ?

Postarei um exemplo prático em C de como jogar o conteúdo de um char* em um int, deslocando os bits.

0. #include <stdio.h>
1.
2.  int main( int argc, char* argv[] )
3.  {
4.         char* test = “test”;
5.         int tmp = 0;
6.
7.         tmp |= test[0] << 24 | test[1] << 16 | test[2] << 8 | test[3];
8.
9.         printf(“Result: %d\n”, tmp);
10.        return 0;
11. }

Na linha 7 vamos pegando cada caractere da palavra contida na variável test e atribuindo separadamente em cada byte da variável inteira tmp.

Uma outra maneira é ir deslocando aos poucos todo o conteúdo de tmp, como por exemplo:

tmp |= test[0];
tmp <<= 8;
tmp |= test[1];
tmp <<= 8;
tmp |= test[2];
tmp <<= 8;
tmp |= test[3];

Ao executarmos esses programas no terminal, ambos imprimirão na tela a seguinte mensagem:

Result: 1952805748

A variável tmp, depois de ser totalmente atribuída vai conter o valor 74657374 em hexa, o que, convertendo pra decimal vira 1952805748.

O valor em hexa se deve aos valores de cada caractere (da variável test) em hexa, na tabela ASCII.

t = 74
e = 65
s = 73

Bom, e qual a aplicação prática disso tudo ?

Por exemplo, agora é possível juntar os códigos de press e release de cada tecla do seu teclado, numa única variável. 😉

Boa sorte.

Fazendo rollback no SVN

Pra iniciar minha participação nesse blog, vou começar com uma dica que pode ajudar muitos “computeiros” de plantão.

Ontem no serviço me deparei com uma situação inusitada. Tive que fazer um rollback no SVN.

Pra quem não sabe, rollback é um termo que significa “desfazer” alguma coisa em certo local (por exemplo um servidor). Mas também pode significar “arruma essa cagada aê tchê!!!”.

E SVN é a sigla do Subversion, que um sistema de controle de versão muito usado por aí.

Enfim, mãos à obra.

Primeiramente temos que descobrir os números das revisões do nosso arquivo, e fazemos isso digitando

svn log -v nome_do_arquivo

assim, vocês verão algo parecido com isso

r9606 | rmontenegro | 2008-06-17 15:30:23 -0300 ( Tue, 17 Jun 2008 ) | 1 line
Changed paths:
M nome_do_arquivo

————————————————————————
r9604 | rmontenegro | 2008-06-17 14:45:25 -0300 ( Tue, 17 Jun 2008 ) | 1 line
Changed paths:
M nome_do_arquivo

aonde r9606 é a última revisão comitada, e r9604 a penúltima.

Bom, agora, nós vamos reverter localmente o nosso arquivo, digitando

svn merge -r9606:9604 nome_do_arquivo

Pronto, localmente ele vai estar com o conteúdo antigo. Agora é só comitar.

svn ci -m “uma breve descricao” nome_do_arquivo

MAS ATENÇÃO !!! Não esqueçam que localmente o arquivo está com as mudanças antigas.
Caso você queira mudar apenas no servidor, e localmente continuar com as mudança feitas antes de comitar da primeira vez, é só fazer o merge novamente, agora para a revisão que você deseja.

E o legal é que podemos reverter vários arquivos juntos, por exemplo passando um intervalo maior de revisões.

É isso aí pessoal, divirtam-se. (Mas muito cuidado, hehehehe).

Valendoooooooooooo!

Como diria o narrador do “Campeonato Brasileiro ’96”, aquela versão paraguaio-brasileira do International Superstar Soccer para Super Nintendo:

COMEÇOU!

Céu de brigadeiro em Ottawa. Em Brasília, 10:37.